Blog de Receitas

Post em Destaque

Receitas da Helena - Culinária com PANC's - Plantas Alimentícias Não Convencionais

Consideradas “daninhas” em diversas regiões do país, essas espécies fazem parte de uma seleção ainda pouco difundida, mas com um enorme potencial nutritivo: as PANC. O termo criado pelo biólogo Valdely Kinupp (veja seu livro para baixar pdf grátis) diz respeito às plantas comestíveis que surgem de forma espontânea em quintais, terrenos baldios e canteiros, que estão na categoria de "mato". Incontáveis, as mais conhecidas são beldroega, serralha, urtiga, azedinha, bertalha, peixinho, ora-pronobis, taioba, lírio-do-brejo, trevo, capuchinha, onze-horas (a de folha gordinha), língua-de-vaca e muitas outras. Associado à cura do câncer e poderoso auxiliar hepático, o Dente de Leão está entre os mais importantes. Chamado na França de pissenlit, é importante elemento da cultura de coleta. No começo de primavera, as pessoas saem para os campos em busca deles, antes de estarem floridos. Resultam em saladas compostas com bacon frito e ovos duros picados. O vinho rouge acompanha o ritual gourmet, segundo Marlise Blassfeld.

CAPÍTULO QUINZE - LOBOS E CHACAIS, OS AFRITS

Becankos ajeitou a pele de leopordo por sobre os ombros, fazia frio . Era o sacerdote principal, entrava e saí do Templo de Karnak sem restrições. Pensava em seu outro trunfo para angariar as benesses do Comandante da Guarda do Exército, e este seria um plano infalível para complementar a vingança, e o guardaria em segredo, como grande cartada. Tinha a certeza que conseguiria convencer o general, pois seria o requinte máximo de maldade para com a esposa traidora. Ele teria que usar o leão de estimação da princesa, e esta tarefa requeria muito tato ao ser explanada, pois o leão era também estimado por Horemheb, ele próprio havia presenteado a amada depois de uma caçada onde encontrou o animal ainda filhote.

O uivo angustiado de um chacal arrepiou Becankos, e este sentiu na espinha o frio da dor vinda da alma do mundo, que seria ferida para sempre. Desde que tivera a ideia dos afrits, a imagem da Rainha Tiy e sua filha Baket-Amon, a Princesa da Luz, estavam em sua cabeça. O remorso corroía sua mente, sem conseguir esquecer que ele era depositário de sua confiança.

Novamente Bekankos estremeceu, os lobos traiçoeiros rondavam uivando na noite sem lua cheia, farejando o cheiro da maldição vestida de traição. E a traição tinha sabor amargo, como comida feita com dente-de-leão, com chá de boldo e artemísia do campo. Faria ele mesmo uma sopa ardida de urtiga. Também um pão recheado com creme de agrião e espinafres para acompanhar os pepinos azedos. O fígado precisava ser regenerado, restaurar suas funções hepáticas depois de tantas angústias.

Colheria no quintal do Templo as amargas folhas da artemísia pois elas eram difíceis de engolir como suas lembranças, precisaria comer também as flores pois seu sabor adocicado lembrava o mel, e precisava de alguma doçura mesmo que fosse somente em sua comida. Colocaria azeitonas pretas das mais amargas que encontrasse na dispensa, o queijo duro manteria a acidez que necessitava misturada às flores de artemísia amarga e folhas de ardido agrião. Fugiria de sua consciência traidora pois sem ser merecedor, possivelmente teria disposição ainda para um pão doce com pistaches, aproveitaria os pães amanhecidos ainda que doce lhe fosse proibido. Um pão cascudo e duro era o que merecia, como seu coração endurecido pedia. Com chá amargo de boldo, limão, cravo e canela ajudaria a limpar o organismo do amargor dos últimos dias.

Mesmo assim, certamente o jantar estaria menos amargo que sua consciência que ardia como sal marinho colocado em uma ferida. Olhar as alvas flores que colheria desesperou o fim do seu triste dia, a paz que transmitiam lembrava a inocência daqueles que para sempre, magoaria. Atravessaria encarnações na sombria certeza que seu destino estava cravado na mancha escura que seus atos perpetravam, até encontrar uma alma generosa que tudo mudaria, ao perdoar e entender que pessoas agiam por instintos. Se eles o levam a cometer insanidades, ainda assim restaria um fio de esperança de salvar um coração da tempestade que o alcança. Ouvindo os lobos e chacais que tiravam sua paz, Becankos amargou sua comida com o lamento do vento frio rodopiando entre as pequenas flores que ofereciam seu amargor para curar males de amor. Sentia e sabia que a solidão o alcançaria.

SALADA DE QUEIJO FETA, PEPINO AZEDO, AZEITONA AZAPA E DENTE DE LEÃO

Rasgar folhas de alface americano, misturar com as folhas de dente de leão depois de lavadas e escorridas. Salpicar sal e limão, mexer bem para pegar gosto. Cobrir com as azeitonas sem caroço, os pepinos cortados em fatias e salpicar queijo feta ralado grosso. Acompanha carnes suínas assadas. Este queijo é uma receita desde os tempos de Noé, usado na Europa e também no Oriente. É feito de leite de cabras e ovelhas. A Grécia detém a fabricação mais famosa, de massa cremosa e macia, levemente salgada. Uma característica de queijos maturados condimentados é a tradição de colocar os queijos em salmoura, vinho ou vinagre. Isto evita a proliferação de bactérias e mofos na superfície e a desidratação continuando, porém, a maturação. Desta maneira os queijos podem ser conservados por mais tempo. Enfeitar com lima-dedo, um cítrico usado pelos aborígenes da Austrália, hoje vendido em feiras gastronômicas e empórios da Europa, provenientes de plantações em Israel. Bem aceito pela alta gastronomia mediterrânea, este pequeno gomo com gosto de limão tem aparência de caviar.

SOPA DE URTIGA, AGRIÃO, SALSINHA E DENTE DE LEÃO

Estas ervas eram usadas pelos índios, também pelo povo do antigo Egito para restabelecer as funções hepáticas. Principalmente quando estavam se sentindo doentes e cansados, o mato era comido colhido do campo. Mastigavam também as flores intuitivamente, sem saber que elas eram poderosas no combate a vários males.

Ingredientes

1 maço de urtiga lavado e escorrido, l maço de agrião, 1 maço de dente de leão, Metade de um maço de salsinha fresca, Sal e pimenta à gosto. Azeite a Gosto, 1 cebola brunoise, 3 dentes de alho espremidos,1 cx de creme de leite,2 ovos cozidos duros.

Modo de Fazer

Em uma panela aquecida, colocar o azeite e dourar a cebola e o alho, adicionar os maços verdes e refogar, deixando tomar gosto. Acrescentar pouca água, liquidificar e voltar para a panela. Colocar sal e pimenta à gosto, adicionando mais água na quantidade de fazer uma sopa espessa, após adicionado o creme de leite. Ferva até borbulhar.

Adicionar os ovos, deixando-os pochê dentro da sopa. Salpique pimenta rosa para enfeitar. Sirva quente com torradas de alho.

Este cardápio preenche a necessidade de ferro, pela ingestão de agrião, salsinha, ovos e couve. As ervas são reconstituintes da flora intestinal e regularizam as funções do fígado.Dente de Leão é uma erva mateira, cresce sozinha. É poderosa no combate a doenças do fígado pois regenera o tecido gelatinoso.Artemísia também é um arbusto mateiro, conhecido por outros vários nomes e igualmente poderosa para combater a depressão e os sintomas da TPM. O tratamento inclui o controle da ansiedade, náuseas, enxaquecas, gases, azia, indigestão e diarreia. Previne no controle do câncer de mama. Seu nome mais conhecido é Absinto, de onde se produz a bebida verde e amarga usada em drinks. Também como erva-de-são-joão, losna e losna brava.Boldo age igualmente sobre o fígado, aliviando o estômago quando da ingestão de toxinas.

BELDROEGA

ARTEMISIA, conhecida como Absinto, erva-de-são-joão, losna e losna brava

PEIXINHO , erva de hortas com sabor de Lambarí.

  Siga-me e receba Atualizações
  • Facebook Social Icon
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now